quinta-feira, 29 de outubro de 2009

De Yoani, Desde Cuba con Emoción.

Precisamente hoy estoy ebria de satisfacción porque una compilación de mis textos, titulada “De Cuba, com carinho…”, se presentará esta tarde en Brasil. Atenta a las tres horas de diferencia que me separan de Rio de Janeiro, voy a festejar a las cinco de la tarde la bella edición de mis posts en portugués. 
Se me verán los dientes a varios metros de distancia, no sólo porque los tengo grandes y separados, sino por la carcajada permanente que llevaré colgada en la cara. Una risa corrosiva que no pueden entender los adustos rostros de quienes me han impedido llegar hasta allá; puñalada de regocijo que corta y atraviesa a quienes no saben manejar la inesperada alegría del cautivo.
 
( do Blog da autora)

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Zazie no Metrô de Raymond Queneau,uma surpresa agradável

Zazie No Metrô, Raymond Queneau é um romance que narra as andanças de uma adolescente desbocada,Zazie, por Paris. Vinda do interior,  chega à capital para passar alguns dias, sob os cuidados do tio Gabriel, com duas obsessões na cabeça - andar de metrô e usar uma calça jeans pela primeira vez. Mas uma greve dos transportes coletivos impede a menina de fazer seu passeio subterrâneo e, para ganhar a sonhada calça jeans, ela se vê às voltas com um sujeito que não sabemos se é um tarado ou um policial. A menina passeia pela Paris dos anos 50 na companhia de amigos de seu tio - um taxista, um sapateiro, um dono de bar, uma garçonete e um papagaio, que passam o dia enchendo a cara e jogando conversa fora. O autor fez uma história simples, cativante, divertida e claramente influenciado pela literatura brasileira. É um  roteiro  de filme em potencial.  Primeira edição em  francês lançada em 1959 . Recomendo o livro.

O Livro de Raymond Queneau - o filme (1960)
Título no Brasil: Zazie no Metrô (Zazie dans le métro)
País de Origem: França / Itália
Direção: Louis Malle

Elenco

Catherine Demongeot .... Zazie
Philippe Noiret .... Tio Gabriel
Hubert Deschamps .... Turando
 Odette Piquet .... Mâe de Zazie
Antoine Roblot .... Charles

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Voltemos aos livros...

Desde algum  tempo acompanho o blog Generación Y,  eu  e milhões de pessoas no mundo  todo, claro. O  que tem nele de fantástico? fofoca de celebridade? mulheres ou homens peladas? horóscopo? futebol?  Nada disso. Yoani, a blogueira, fala do  dia-a dia das pessoas comuns em Cuba. Aí  está o  segredo. Sobre o incomum, todos falam quando  visitam a ilha mas ninguém fala da vida cotidiana do  cubano.  Recentemente a editora contexto lançou o livro: De Cuba Com  Carinho, livro que é uma reunião  de várias postagens da blogueira Yoani Sánchez.  Comprei e recomendo. A autora está impedida de sair da ilha para receber dois prêmios internacionais e, apesar de convidada, não  compareceu  ao lançamento  brasileiro. O livro não é piegas, nem panfletário. Como  também não o é o  blog. Desmistifica  e esclarece. É muito  bem  escrito e  a autora merece nosso aplauso pela coragem de enfrentar sozinha um poder absoluto e bem mais velho  que ela. Yoani, não consegue ler nenhuma resposta postada no  próprio blog, nem saber que seu livro tem  muitas traduções. Não  recebe nem um  centavo  de direito autoral mas continua escrevendo e com carinho por seu país, logicamente.
Empresto meu  exemplar a quem  da comunidade Livro Errante quiser ler.

Bullying - continuação.

Do mesmo  Colégio Agnes  outra mãe informa que filho  também  sofreu agressões.

     Outro garoto  de 12 anos e da mesma sexta série dos que sofreram as agressões recentemente divulgadas na imprensa, relatou, inicialmente  a avó, que era agredido por colegas de sala de aula.
     O adolescente era novato  e passou aproximadamente 4 meses sendo  agredido, nas pernas principalmente, por 4 colegas de sala.  Lamentavelmente a mãe não prestou queixa à polícia  contou o  caso unicamente para o Diário de Pernambuco.
O aluno  vai  mudar de colégio e, segundo a mãe, outras famílias também  vão retirar seus  filhos da "tradicional instituição de ensino".
     Os agressores deste adolescente não  são os mesmos citados anteriormente, significando, então, que o número  de praticantes do abominável  bullying dentro das dependências do Colégio Agnes é maior do  que se imagina.
Segundo a matéria, a situação  do  garoto  só  foi resolvida porque o pai relatou a situação à direção  do  colégio.
     Até a próxima sexta-feira, o delegado Thiago Uchôa disse que espera concluir o inquérito que apura as denúncias feitas por outros oito pais de adolescentes que estudam na unidade de ensino. Ele adiantou que provavelmente vai optar por aplicar aos três jovens agressores a medida de prestação de serviço à comunidade, prevista no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).
     Este foi um caso  que veio à tona. No entanto  quantas são as vítimas que ainda estão caladas? quantos são os pais que ainda não  atentaram para mudanças de comportamento  denunciadoras de que algo muito  ruim está acontecendo  com  seus filhos? em quantos mais outros colégios a essa altura não  tem  aluno sendo  agredido  física e psicologicamente?
Aos pais: não  deixem passar em  branco alterações de comportamento em  seus filhos, qualquer que sejam a série, idade, colégio. Descobrindo o  fato, abra a boca.

domingo, 25 de outubro de 2009

Valença - RJ a cidade da leitura

Repórter: Duilo Victor
Foto: Hudson Pontes
Imagine uma cidade onde os livros são um bem comum, do mesmo modo que o sol do meio-dia ou a sombra de uma árvore. Na biblioteca deste lugar, qualquer pessoa pode usufruir da leitura sem data para devolver o livro ou retorná-lo necessariamente para o local de onde foi levado. O que muitos sentenciaram como loucura de Fernando Monção, um empresário de pronta entrega de refeições, vai começar em até três meses em Valença, no Jardim Velho.
O projeto custará cerca de R$ 130 mil. Pouco mais da metade será bancada pela prefeitura de Valença, que ficará responsável pela construção da biblioteca, um projeto arquitetônico doado por Germano Brito, morador da cidade, a pedido de Monção. Novidade: a biblioteca, sem balcões ou fichas de cadastro, ficará numa árvore, com capacidade para 800 livros.
A semente do projeto foi a forma como o acervo está sendo montado. Monção começou, há uma ano e meio, uma campanha de doação de livros sem grandes pretensões. Já recolheu 5.800 volumes.
— O folheto para anunciar a combinação de nossos pratos é enorme, e tinha dúvidas sobre quem o leria até o final. O anúncio era um teste de audiência. Se as pessoas lessem aquela mensagem é porque haviam lido o cardápio inteiro — conta ele, que pretende instalar pontos de coletas nos templos da cidade, sem distinção de religião.
A casa de Monção está cheia de livros, à espera da biblioteca. Com a ajuda da internet, vieram livros até de fora do país. Da Fundação Educacional D. André Arcoverde, de Valença, veio o apoio técnico e pedagógico da empreitada.
O projeto, que tem o nome de “Livro sem fronteiras” é inspirado no conceito de “livro errante”, de Regina Porto Valença. Quem quiser acompanhar o projeto de Monção pode entrar no blog  . No site, tem até uma campanha para convencer a produção do Programa do Jô, a convidar Fernando para ser entrevistado.
— O que eu ouvi de gente falando que o projeto não ia dar certo... mas só acreditei em quem dizia o contrário — diz Monção, que conta com patrocínio de empresários da região para padronizar o acervo com capas.

sábado, 24 de outubro de 2009

Enquanto isso ...

Continuo  acompanhando pelos jornais o  desenrolar dessa abominável agressão sofrida por  jovens de 12 a 14 anos dentro  do  Colégio Agnes no Recife. Não  sou pedagoga, psicóloga, diretora de colégio, juiza de direito. Não tenho, portanto, nenhuma opinião com  embasamento nessas áreas. Tenho sim, enorme  indignação e algumas perguntas?  como  está a situação  escolar desses alunos, as vítimas, claro. continuam frequentando  as aulas? se sim, continuam assediados?  Sim; porque não  seria  surpresa se os agressores continuassem, já que  pra eles o prazer aumentou. Não  estão  frequentando as aulas? nesse caso vão  ser prejudicados também nos  respectvos anos letivos?  Um dos alunos agressores foi transferido para outra instituição saindo do  Col. Agnes provavelmente para outro colégio de bom  nível  educacional. Esse colégio que o  recebeu vai ficar atento para que ele não pratique o bullying novamente? Enfim,o  que penso é:  enquanto as autoridades competentes em  suas respectivas áreas discutem o  que é, como  acontece, qual a penalidade, se será aplicada, se é ou não caso policial...como estão os jovens vitimados por colegas dentro  das dependências do  Col. Agnes?   Por enquanto, lí ameaça telefônica feita a uma família... 

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

L.E - denúncia, atualização


A instituição religiosa tradicional a que se refere a notícia postada abaixo é o Colégio Agnes, bairro das Graças, no Recife
(Matéria publicada no  Jornal Folha de Pernambuco, caderno Grande Recife -22/10/2009)

L.E - denúncia de bullying

     Neste momento o  blog abre exceção e não  vai  falar de livros nem da comunidade a que está vinculado. Recorto e colo matéria publicada nos 2 jornais de maior circulação  do Recife, para mostrar até onde chegamos.
Aproveito para pedir - e enviei  carta aos dois jornais  citados - a publicação  do nome do   colégio. Eis a  matéria;

A violência silenciosa já durava um ano. Sobrevivia graças a ameaças. Se alimentava do medo de um grupo de estudantes. Ontem, oito pais de alunos de um colégio particular e religioso do Recife decidiram denunciar as agressões na Gerência de Polícia da Criança e do Adolescente (GPCA).

Assustados com a descoberta revelada na semana passada por uma das vítimas, os pais contaram à polícia os detalhes das agressões sofridas pelos filhos dentro da escola. Todos os envolvidos cursam a sexta série e têm em média 12 anos: dez vítimas e três agressores. No entanto, os acusados são maiores fisicamente e um deles tem 14 anos, o mais velho da turma. Pelos relatos, foram praticadas 26 tipos de tortura contra os menores.

O que aconteceu com os estudantes é o chamado bullying. O fenômeno se caracteriza pelo assédio moral entre alunos, como bater, empurrar, chutar. Trata-se de uma violência continuada, física ou mental, praticada por um indivíduo ou grupo contra uma outra pessoa que não é capaz de se defender por si só, na situação atual, por ser tímida, ter comportamento mais passivo ou ser diferente. É a dominação de um sobre o outro e pode ocorrer em qualquer escola. Pode ser verbal, emocional, racista ou sexual.

No caso em especial, as agressões tinham até nome. Ganso (quando o agressor aperta o órgão genital da vítima até que ela chore), gaveta (quando o agressor aperta o peito da vítima), chave de pescoço, entre outras. "A história só veio à tona depois que um dos adolescentes chegou em casa cheio de hematomas. A mãe perguntou o que havia acontecido e ele disse que tinha caído na escola. Desconfiada, a mãe verificou a roupa do filho e descobriu que não estava suja. Depois disso, o menino terminou contando dos espancamentos", informou o delegado Thiago Uchôa. A direção da escola disse à polícia que também não sabia dos espancamentos.

Surpresa, a mãe procurou outros pais e descobriu que a situação se repetia com mais nove alunos da mesma escola. "Meu filho costumava dizer que queria ficar logo grande, fazer karatê e eu não sabia que era por conta dos espancamentos. Eles praticavam todo tipo de agressão em vários locais da escola, já que há áreas de pouca circulação", comentou um pai, durante um depoimento na GPCA.

Os pais das crianças vítimas também procuraram o Ministério Público de Pernambuco e foram orientados a ir para a GPCA. Ontem, alguns já foram ouvidos dentro do inquérito que vai apurar o caso. Serão ouvidos, ainda, a escola e os alunos acusados. "Havia crianças que chegavam em casa com a roupa rasgada, que eram obrigadas a dar 'cola' nos dias de prova", acrescentou o delegado. O Diario tentou falar com a direção da escola sobre o assunto, mas não obteve retorno das ligações.

Caso sejam considerados culpados pelo juiz da Vara da Infância e Juventude da Capital, os três adolescentes podem cumprir medidas socioeducativas que vão desde reparação de dano, prestação de serviço à comunidade ou mesmo internamento.
Serviço
Grupo de Estudos sobre o Bullying: 9990.2394    (Recife )

Livro Sem Fronteiras - Valença - RJ

Projeto de biblioteca itinerante ganha autorização do Rio de Janeiro

Tatiana Mattos | Estado do Rio | 21/10/2009 15:19
O projeto "Livro Sem Fronteiras", idealizado pelo empresário Fernando Monção, recebeu autorização do Instituto Estadual do Patrimônio Cultural (Inepac) e poderá ser construído. A biblioteca, que ficará localizada em praça pública tombada pelo Patrimônio Municipal, em Valença, disponibilizará aproximadamente 5.800 obras. Não haverá cadastro de pessoas ou controle dos livros; a população é responsável por manter a integridade das instalações e dos livros. Segundo Fernando, "é a primeira vez que se permite modificação em patrimônio tombado no município".

O idealizador considera uma vitória importante para Valença que a aprovação tenha saído. "É a prova de que se abre espaço para a cultura. O Inepac deu a mesma importância para o setor que a dada para a parte histórica", disse ele. O Livro Sem Fronteiras entra em período probatório, por um ano. Os organizadores da ideia já entraram em defesa de uma autorização por cinco anos, prorrogáveis por mais cinco.

Fernando garante que a iniciativa privada já está preparando a padronização das capas dos livros e também os textos explicativos. Quanto às obras da biblioteca, não há data prevista para o início das operações, já que as atividades dependem do calendário da prefeitura local.

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Na escola, que é lugar de criança

Bem pouco tempo atrás, Paula Alessandra, 6 anos, passava as tardes sem fazer nada. Ociosa, costumava ficar brincando com os dois irmãos, de 7 e 11 anos, pela ruas da periferia de Arcoverde, no Sertão do estado. Sua mãe costuma sair ainda de madrugada para o matadouro público da cidade, onde trabalha.
O pai, que é mototaxista, também fica ausente a maior parte do dia. Sem nenhum dos dois por perto, a menina e os irmãos acabavam voltando para a escola no dia seguinte sem cumprir as tarefas. Mas a realidade das três crianças está sendo transformada. Desde que foi implantado o regime integral, Paula e outras crianças e adolescentes da comunidade de Tamboril, bairro carente do município sertanejo de Arcoverde, têm a oportunidade de aprender mais. Primeira na região a funcionar com o novo modelo, o Centro de Ensino Integral Ivany Rodrigues Bradley atende a 322 estudantes de 6 a 14 anos. Os alunos chegam às 7h30 e só largam às 17h.
Paula Alessandra é uma delas. Quando começou a frequentar o centro integral tinha dificuldade de concentração e mal reconhecia as letras. "Ela vivia dispersa e não conseguia concluir uma tarefa", lembra a professora Adriana Feitosa. Hoje, Paula já escreve o seu nome e ensaia ler as primeiras palavras. Os irmãos, também alunos do centro, deixaram de ficar na rua. "A gente vê no rosto dessas crianças que elas estão felizes. Para a gente, cada dia é uma vitória", diz a professora.
Segundo a coordenadora do centro, Rejane Rodrigues Verçosa, o sistema integral foi uma forma de atrair os estudantes para a escola. "As crianças ficam mais tempo na escola praticando atividades educativas. No começo, alguns choravam querendo ir para casa, mas agora já se adaptaram", explica. Segundo Rejane, a proposta da escola modelo agradou aos pais das crianças. Tamboril é um bairro conhecido pelos altos índices de criminalidade, inclusive pelo tráfico de drogas. "Os pais tinham medo que as crianças se envolvessem com traficantes", comenta a coordenadora.
Na primeira partedo dia, os alunos têm a carga horária semelhante a qualquer outra escola. No turno da tarde, as crianças passam por aulas de reforço, principalmente aquelas que estão fora da faixa etária. Também aprendem noções de informática, música e artes e fazem aulas de educação física. Durante o período em que permanecem no centro, recebem três refeições, sendo um almoço e dois lanches. "A gente já sente uma melhora no rendimento dos estudantes. Estão mais dispostos e participativos", ressalta.
Para o ano letivo de 2010 a Secretaria de Educação deverá inaugurar o segundo centro de ensino modelo da cidade, que também será localizado em uma área carente de Arcoverde. Serão atendidas 400 crianças do ensino fundamental dos bairros da Boa Vista, Cohab I, Santa Terezinha e São Geraldo. Segundo a secretária de Educação, Cultura e Esporte de Arcoverde, Angélica Patrícia Pacheco, o prédio está em fase de construção. "O novo centro integral terá a mesma estrutura de salas e laboratórios do Centro de Ensino Integral Ivany Rodrigues Bradley, inaugurado no início deste ano". Ela adianta que o centro de ensino integral deverá contar com dez salas de aula, laboratório de informática, biblioteca, área de lazer e refeitório.
(Matéria de Ana Paula Neiva - publicada no Diário de Pernambuco de 21/10/2009
Imagens de: Paulo Cézar Cavalcanti)

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Melhores de 2009 - atualização



Mais votados:
(1º colocados) 
O Menino do Pijama Listrado - John Boyle

(2º colocados)

Amante de Lady Chatterley (O)- D.H. Lawrence
Eu Receberia as Piores Notícias dos Seus Lindos Lábios - Marçal Aquino
Menino do Pijama Listrado – Johan boyne
Os Da Minha Rua - Onjaki
Rei Pasmado e a Rainha Nua - Gonzalo Torrente Ballester
Viúvas das Quintas-Feiras(As) – Cláudia Piñeiro

(3º colocados)

Amar, Verbo Intransitivo - Mário de Andrade (de Neto)
Amor em Minúscula – Francesc Miralles
Cabana (A)
Cândido ou o Otimismo - Voltaire (Gisele)
Castelo de vidro - Jeanette Walls
Como Água Para Chocolate -Laura Esquivel
Cris, a fera - David Coimbra

Equador - Miguel Sousa Tavares
Filho Eterno O – Cristóvão Tezza
Infiel - Ayaan Hirsi Ali
Jangada de Pedra - José Saramago
Montanha e o Rio (A)- Da Chen
Mulher que escreveu a bíblia (A) Moacyr Scliar
Nunca Te Vi, Sempre Te Amei – Helen Hanff
Paixão India - Javier Moro
Rio das Flores - Miguel Sousa Tavares
Segredo Das Coisas Perdidas
Sete Minutos (Os) - Irving Wallace
Tuareg - Alberto Vázquez-Figueroa
Vintém de Cobre - Cora Coralina


E você internauta?  qual o melhor livro  que leu este ano?

Mais votados - 2009

Os três livros mais votados (empatados) são:

Eu Receberia as Piores Notícias dos Seus Lindos Lábios - Marçal Aquino
Rei Pasmado e a Rainha Nua (O)- Gonzalo Torrente Ballester
Viúvas das 5as. Feiras (As)- Claudia Piñeiro

Seguidos de (empatados):

Amante de Lady Chaterley (O) D.H.Lawrence
Amar, verbo intransitivo - Mário de Andrade
Amor em Minúscula – Francesc Miralles
Cândido ou o Otimismo - Voltaire
Cris, a Fera - David Coimbra
Filho Eterno O – Cristóvão Tezza
Infiel - Ayaan Hirsi Ali (Nana)
Jangada de Pedra - José Saramago
Menino do Pijama Listrado - John Boyne
Os da Minha Rua - Ondjaki
Paixão India - Javier Moro
Rio das Flores - Miguel Sousa Tavares
Segredo das Coisas Perdidas
Sete Minutos (Os) - Irving Wallace
Tuareg - Alberto Vázquez-Figueroa
Vintém de Cobre - Cora Coralina

Próxima atualização: 19h (horário do Nordeste)

sábado, 17 de outubro de 2009

Os melhores de 2009

A comunidade LivroErrante está elegendo os melhores livros dentre os que circularam  nos diversos grupos  durante o ano  de 2009. a votação  encerra dia 15 de novembro.

Até o momento os livros mais indicados foram:
O Amante de Lady Chaterley - D.H. Lawrence

Amor em Minúscula - Francesc Miralles
Amar, Verbo Intransitivo - Mário de Andrade
Cris, A Fera - David Coimbra
Eu Receberia As Piores Notícias dos Seus Lindos Lábios-Marçal Aquino
O Filho Eterno - Cristóvão Tezza
Jangada de Pedra - José Saramago
A Louca da Casa - Rosa Montero
Paixão Índia - Javier Moro   
O Rei Pasmado e a Rainha Nua - Gonzalo Balester
Rio das Flores -Miguel Souza Tavares
Os Sete Minutos - Irwin Wallace
Tuareg - Alberto Vasquez-Figueroa
Vintém de Cobre - Cora Coralina

Escola sertaneja disputa prêmio nacional

O primeiro evento totalmente dedicado à literatura do Sertão de Pernambuco rendeu a um colégio estadual a indicação para o Prêmio Viva Leitura, dos Ministério da Educação e da Cultura. Por promoverem o Flis – Festival Literário de Sertânia, professores e alunos da Escola Olavo Bilac disputam R$ 30 mil com outras quatro instituições de ensino do País. O vencedor será conhecido quinta-feira, no Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo.

Desde 2007, o Flis dá a poetas e cantadores do município a chance de divulgar sua produção artística. Mas vai além: estimula os estudantes a ler e até produzir suas próprias poesias, contos, cordéis. A ideia partiu da mente inquieta do professor de português e literatura Josessandro Andrade, logo apoiado pelos colegas. “Queríamos fazer que o ambiente escolar tomasse conhecimento da arte do nosso lugar. Afinal, Sertânia é uma cidade poética”, enfatizou o educador.

De fato, o festival dobrou a frequência da biblioteca da Olavo Bilac e gerou o jornal Nascer do Poeta, fundado há menos de um ano pelos alunos Gilmarques Andrade e Derivaldo Santana, ambos com 18 anos. O número de estreia saiu de uma máquina de escrever emprestada pela diretora, depois reproduzido em copiadora e distribuído entre os estudantes. “Tirávamos dinheiro do nosso bolso para bancar o jornal”, conta Gilmarques, que terminou o ensino médio e já começa a trilhar o caminho da poesia.

No entanto, o Flis não se conteve nos muros da escola. Foi o embrião para a criação da Sociedade dos Poetas, Escritores, Compositores e Artistas de Sertânia (Sapecas), que trata de espalhar o amor pela arte das letras nas outras escolas e nos espaços públicos da cidade. O professor Josessandro também se orgulha da Casa do Poeta, local onde se apresentam cordelistas, cantadores e escritores.

Em 2007, o Flis homenageou Valdemar Cordeiro, sertaniense membro da União Brasileira de Escritores (UBE), falecido 15 anos antes. Também lembrou o compositor de frevos Francisco Dias Araújo, o Francisquinho, parceiro musical de Cordeiro e maestro da Orquestra Marajoara. Ano passado, foi a vez de marcar o centenário de morte de Machado de Assis e os 100 anos de nascimento de Solano Trindade, além do poeta Corsino de Brito.

O Flis é a única iniciativa do Norte-Nordeste a concorrer ao Prêmio Viva Leitura na categoria escolas particulares e públicas. A honraria é concedida desde 2006, com apoio da Organização dos Estados Ibero-americanos para a Educação, Ciência e Cultura (OEI) e patrocínio e execução da espanhola Fundação Santillana. O prêmio integra o Plano Nacional do Livro e da Leitura. São reconhecidas também as melhores práticas de bibliotecas e de pessoas físicas ou instituições.

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Melhores de 2009


A comunidade Livro Errante começou a escolha dos 10 melhores livros que circularam entre seus   membros em  2009.
Já foram  citados 86 títulos.  O Rei Pasmado e a Rainha Nua de Gonzalo Balester está liderando. O Livro ainda está circulando entre os integrantes do   grupo Descubra o Mundo, representando a Espanha. A votação vai até o dia 15 de novembro.

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Feira Literária de Porto de Galinhas 2009


De 5 a 8 de novembro em Porto  de Galinhas - PE

Programação:
Dia 5 (quinta-feira)
17h às 17h30 - Abertura: música de Villa-Lobos, pela Orquestra Sinfônica Jovem, do Conservatório Pernambucano de Música;

18h30 às 19h30 - Conferência inaugural: Os espelhos da memória, por Eduardo Galeano, apresentado pelo escritor Cláudio Aguiar;

20h - Coquetel.

Dia 6 (sexta-feira)
9h às 10h - O que é Iberoamérica: em busca de sentido para velhos e novos mundos reais e imaginados. Laurentino Gomes e José Carlos Venâncio, em conversa com Ana Luiza Beraba;

10h15 às 11h15 - Os novos caminhos para as velhas Índias. Kathrin Rosenfield;

11h30 às 12h30 - Quem são os grandes heróis e bandoleiros da Iberoamérica. Angel Espina Barrio, Frederico Pernambucano e Marcus Accioly;

12h45 às 13h45 - Como se faz um livro com sucesso na internet. Ana Paula Maia, Heloísa Buarque de Hollanda e Antônio Campos;

15h às 16h - Conferência: A devastação cultural da América Latina. Fernando Báez, apresentado pelo historiador Marcos Galindo;

16h15 às 17h15 - Diálogos de literatura e artes contemporâneas. Pierre Ouellet e Chistine Palmieri: leitura, perfomance e video

17h15 às 18h15 - Glórias e misérias com a língua portuguesa. Humberto Werneck, José Luis Peixoto e Fernando Portela;

18h30 às 19h30 - A tradição popular da Espanha e do Brasil na poesia de João Cabral. Lawrence Flores Pereira e os repentistas Ivanildo Vila Nova e Raimundo Caetano;

19h30 – 20h30 – As múltiplas identidades do escritor e da Iberoamérica. José Luiz Peixoto e Yaron Avvitov.

Dia 7 (sábado)
9h30 às 10h30 - Conferência "PernambuCabral", por Antonio Carlos Secchin;

10h45 às 11h45 - As duas Espanhas, as muitas Espanhas; e o Brasil com isso? Juan Andres Blanco, Jorge Díaz e Tarcisio Costa;

12h00 às 13h00 - Ser escritor (iberoamericano) vale a pena? José María Merino e Eric Nepomuceno;

15h às 16h - Poesia e música: dos trovadores às tribos da MPB. Arnaldo Antunes;

16h15 às 17h15 - Diálogos de literatura, história e jornalismo. Ignacio Martinez de Pisón e Eccehomo Cetina;

17h30 às 18h30 - Cervantes entre a ironia e a melancolia. Luiz Costa Lima e Kathrin Rosenfield;

18h45 às 19h45 – Diálogos de literatura, teatro e música. Ronaldo Correia de Brito e Antonio José Madureira.

Dia 8 (domingo)
10h às 11h - Amor, desamor e amizade na literatura. Cristóvão Tezza e Tatiana Salem Levy;

11h15 às 12h15 - Verdades e mentiras de Fernando Pessoa. Inês Pedrosa e José Paulo Cavalcanti Filho;

12h30 às 13h30 - Conferência de encerramento: Antonio Skármeta.

Serviço
Quando?De 5 a 8 de novembro,
Onde?Hotel Armação - Porto de Galinhas
Preços;Ingressos: Palestra (R$ 5 cada), Diária (R$ 15)
Passaporte completo (R$ 50, toda a programação literária do evento),
Onde comprar? www.fliporto.net, na Livraria Jaqueira ou troca por pontos do Bomclub

E Assim Se Passaram 40 anos...

     O livro Cem Anos de Solidão festeja. Seu aniversário de  40 anos mereceu revisão  do autor e edição  comemorativa no Brasil.
     A Editora Record informou que  a versão brasileira, traduzida por Eric Nepomuceno e com  tiragem inicial de 15 mil exemplares, traz o discurso  feito  por García Márquez quando  recebeu o Nobel de Literatura em 1982 e a árvore genealógica da  família Buendia

Cem Anos de Solidão (edição  comemorativa)
Editora Record
Tradução: Eric Nepomuceno
Páginas 448

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Solidão - Josué Araujo

Solidão
Josué Araujo


Quando sentir-se só, dentro do quarto,
E você olhar pela janela aberta,
Lá fora, ainda a chuva torrente e esperta,
E n’alma sentindo dores de parto;

E quando você, olhando para cima,
Sentir-se que está porventura cético,
Do nosso Criador já quase hipotético,
Levando a vida sem nada de rima;


E quando ainda, mesmo que só contigo,
Não se lembrar d’um bom amigo antigo,
E se temer o abismo da paixão;


Também se a tua voz ficar abafada,
Presa na tua garganta sufocada,
Sim! Isto sim! Isto é que é solidão.

De Josué Araujo:
O Mistério da Bruxa de Areia Dourada

Melhores leituras de 2009

A comunidade Livro Errante  se prepara para escolher o melhor  livro de 2009. Todos  os títulos que estiveram e ou ainda estão circulando podem  ser votados. 
Em  2008 o livro  vencedor foi A Elegância do Ouriço de Muriel Barbery.   A partir do  dia 20 de outubro todos os membros da comuninade começam a votar; Alguns, como eu, terão  dificuldade vez que tiveram oportunidade de ler mais de 10 livros muito  bons porém  como nosso interesse é divulgar e incentivar a leitura do melhor que  tivemos, o  tópico  da votação é sempre muito  concorrido. Qual será o melhor de 2009?
E você, caro internauta leu algum livro  digno de ser recomendado?  diz pra gente.

Pais Que Fazem a Diferença

Famílias oferecem apoio para garotos pobres se superarem na escola e dão a fórmula de uma parceria de sucesso para ser reproduzida em toda a cidade

     A repetida cena de seu Israel Severino da Silva, de 44 anos, chegando de bicicleta na Escola Estadual Padre Dehon (bairro da Iputinga), transpirando ao final de um dia de labuta, marcou os professores dos filhos dele,Beatriz e Evandro, de 13 e 14 anos, sintetiza um pai presente, que se desdobra para evitar que os meninos entrem no caminho sem volta das drogas e da criminalidade e consigam um bom nível de instrução. Hoje fazendo bicos como jardineiro, Israel mantém o hábito com satisfação. "Para mim, não tem essa de idade. Sigo os dois até a escola, vejo com quem conversam, oriento como se portar com os colegas e insisto em lembrar que não tenho serviço fixo porque estudei pouco", afirma. A figura do pai, cobrando esforços e incentivando-os, foi determinante para Beatriz e Evandro serem alunos elogiáveis e cidadãos promissores.
     Do outro lado do Recife, no Cabanga, o apoio oferecido e o merecido crédito devem ser dados a Margô de Oliveira, mãe dos gêmeos Evandro e Ívano Silva (15 anos). A participação da família nas conquistas de alunos residentes em áreas de alta vulnerabilidade social é o tema do terceiro dia da série de reportagens Meninos-Heróis, que começou domingo e será encerrada amanhã. Beatriz, Ívano e os dois Evandros vêm destruindo as barreiras da pobreza e do crime com o heroísmo de recifenses vitoriosos. Estão entre inúmeros garotos do Alto do Céu (Iputinga), das comunidades do Detran (no mesmo bairro), do Cabanga (em Boa Viagem) e do Recife, que constroem uma história diferente das previstas pelos roteiros pré-escritos para eles.
     No caso da Iputinga, um dos bairros mais violentos da cidade e no qual moram os filhos de seu Israel, crianças e jovens são consideradas muito suscetíveis à criminalidade porque os problemas de segurança têm crescido na última década. É a conclusão de técnicos do Observatório da Violência da Prefeitura do Recife. Para se ter uma ideia da situação do entorno de onde moram Beatriz e Evandro: a maioria dos estudantes fica dividida por grupos - os da comunidade do Caiara estão concentrados na Escola Joaquim Xavier de Brito; os do Detran e do Alto do Céu, no Padre Deon. "Muitas vezes, uns não aceitam os outros", explica Abenilzo Dantas, diretor da Joaquim Xavier - espécie de segundo pai de alguns alunos e atento observador do quadro de violência do bairro. "Já ouvimos falar de cobrança de pedágio para passar por uma ponte, de estupros às meninas e de muitas mortes de jovens conhecidos", lamenta.
     É com dificuldade que Beatriz e Evandro caminham ao largo desse quadro, apesar de morarem numa residência simples do Alto do Céu. "Meu pai sempre esteve conosco recomendando que a gente estudasse. Quando pequenos, a gente sentava no bagageiro na bicicleta, e ele ajudava com as tarefas na mesa do terraço. Lembro tanto disso... Acho que a presença de meu pai fez a diferença", comenta Beatriz, aluna-destaque na última Olimpíada da Matemática. Israel cuida desde a limpeza dos sapatos com que eles vão à escola até o arquivamento dos livros antigos ("podem servir um dia"). Conta com a ajuda da mulher, Maria Aparecida.
Já na residência de Ívano e Evandro no Cabanga, Margô dedica-se a manter os filhos na linha. Pelo seu comportamento, ganhou até um apelido dos colegas de futebol dos meninos: "Sargento". Evandro e Ívano acham graça, mas dizem não se incomodar. "A mãe vem muito aqui e faz tudo para que eles se superem cada dia. Esses alunos certamente são alguns dos poucos que daqui a 20 anos estarão vivos. Muitos desaparecem antes do fim do ciclo escolar", diz o professor Roberto Peixoto, da Joaquim Nabuco, onde estudam Ívano e Evandro. A vida de Margô, frise-se, é tão difícil quanto a da maioria das famílias de bairros pobres. Ela tem oito filhos, sete deles menor de idade e conta apenas com a renda do marido, mecânico da Compesa.
Israel, pai dos meninos da Iputinga; e Margô, do Cabanga, são pais-heróis e parceiros do sucesso dos filhos.


Matéria do Diário de Pernambuco de: Sílvia Bessa em 13/10/2009
Foto de:Alcione Ferreira

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Flagrantes da Bienal de Pernambuco



Um Tempo Feito de Flores pode ser encontrado na Editora Bagaço
na  rua dos Arcos, Casa Forte - telefone: 3205 0134 ou 3205 0132

Flagrantes da Bienal de Pernambuco


Lançamenrto do livro Um Tempo Feito de Flores, de Maria Amélia Almeida


sábado, 10 de outubro de 2009

Flagrantes da Bienal de Pernambuco

Escolares têm  visita previamente agendada.








Se o adulto  responsável der o exemplo terá, sem  dificuldade, formado um novo leitor.

Flagrantes da Bienal de Pernambuco


Escolares na VII Bienal Internacional  do Livro de Pernambuco




Estudante da rede municiapl de ensino da cidade do Recife
excursão Sede do Saber.







Curiosidade é o começo .  Esta "grande leitora" poderá ser uma adulta viciada em livros. Se nenhum professor tentar obrigá-la a ler para responder questões que as vezes nem o autor  do livro  sabe responder, a garotinha vai levar para o  resto da vida o prazer de ler.

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Flagrantes da Bienal do Livro


O  encantamento das ciranças pelo livro é comovente...

Asterix, o gaulês cinquentenário

Dia 29 é aniversário de Asterix, o irredutível gaulês, completa este mês 50 anos. Para comemorar será lançado um novo livro e também outras iniciativas ainda não reveladas,em Paris. Sabe-se, porém, que o ponto central das comemorações é a publicação simultânea do álbum Livre D’Or em 19 países da Europa no dia 22 de outubro. Livre D’Or (em Portugal: “O aniversário de Asterix e Obelix – O Livro de ouro”) terá tiragem de 3,5 milhões de exemplares.
A jornalistas, Uderzo, informou que “é um livro diferente cuja história não tem princípio, meio e fim”

No programa de comemoração dos 50 anos de Asterix, consta a primeira exposição de originais de Uderzo e Goscinny no Museu de Cluny, além de uma grande ação msurpresa em vários monumentos de Paris no dia 29/10. Palmas pro gaulês.

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Herta Müller - no Brasil


    Herta Müller, a mais nova Nobel de Literatura    é a autora  de o Compromisso, unico livro  editado no Brasil.
Editora: Globo
Ano:2004
Onde encontrar? Ed. folha
Preço? R$29,90

                                          

Nobel. Mulheres No Prêmio Tão Masculino

Quem são as mulheres ganhadoras do Prêmio Nobel de Literatura 
desde sua criação em 1901

1909 Selma Lagerlöf (Suécia)
 
 
1926 Grazia Deledda (Itália) escrevia sobre a Sardenha onde nasceu.
Também nasceu na Sardenha Gavino Ledda autor de Pai Patrão, sucesso mundial no  cinema.
 
1928 Sigrid Undset (Dinamarca, mas viveu na Noruega) abordava relações entre homem e mulher.
 
1938 Pearl Buck (Estados Unidos) mestre em literatura.
 
1945 Gabriela Mistral (Chile)
 
1966 Nelly Sachs (Alemanha), dividiu o prêmio com Samuel José Agnon (Israel)
 
1991 Nadine Gordimer (África do Sul)
De Volta à Vida - CIa das Letras
O Engate - Cia das letras
A Filha de Burger - Ed.Rocco
Contando Histórias - Cia das Letras
O Gesto Essencial - Ed.Rocco
O Pessoal de July - Ed.Rocco
Uma Mulher Sem Igual - Ed. Rocco
 
1993 Toni Morrison (Estados Unidos)  primeira negra a ter um Nobel de Literatura.
Compaixão - Cia das Letras
 Jazz - Cia de Bolso
Amada - Cia das letras 
Quem Leva a Melhor, novas fábulas de Esopo - Cia das Letrinhas 
                              Amor - Cia das Letras
                              O Olho Mais Azul - Cia das Letras
                              Paraiso - Cia das Letras
 
1996 Wislawa Szymborska (Polônia) poetisa.
Não encontrei livros da autora editados em português.
A livraria Cultura dispõe de  livros de sua autoria em inglês e ou alemão.




Ganhadoras do Século XXI
 

2004 Elfriede Jelinek (Áustria) autora de peças teatrais.
A livraria Cultura dispõe de apenas um título da autora em espanhol


2007 Doris Lessing (Reino Unido, mas  nasceu no Irã e cresceu no Zimbábue)
Não  encontrei títulos da autora nas livrarias tradicionais on line. O sebo  estante virtual disponibiliza alguns.


2009 Herta Müller (Alemanha/Romênia) Escritora, poetisa e ensaísta alemã nascida na Roménia. Destaca-se pelos seus relatos acerca das duríssimas condições de vida na Romênia sob o regime político comunista de Nicolae Ceauşescu.


 2013 Alice Munro (Canadá), tem livros editados no Brasil:
Vidas de raparigas e mulheres  
O progresso do amor 
O amor de uma boa mulher  
Fugas 
A vista de Castle Rock 
Demasiada felicidade  
Amada vida

2015 - Svetlana Alexiervich (Bielorússia) 
O Fim do homem soviético - único livro com edição em português, pode ser comprado em Portugal. Não existe edição brasileira.